.

.

.

.

"Cidade Alerta" gera revolta nas redes sociais ao "matar" MC Gui

Programa criou legenda dúbia para atrair audiência


Reprodução/Record

A equipe do "Cidade Alerta" mostrou que está disposta a tudo por alguns pontos a mais no Ibope. Mesmo que isso signifique extrapolar o limite do sensacionalismo e tentar ludibriar o telespectador mais distraído. Na última segunda-feira (21), ao noticiar a morte do irmão do MC Gui, o gerador de caracteres da atração insinuava que quem havia falecido era o funkeiro.

Marcelo Rezende explorou a morte de Gustavo Matheus Castanheira, de 17 anos, por quase uma hora. Conversou com os pais do menino, com a irmã, com amigos e até com um médico para tentar esclarecer o mistério que ronda o caso. Sem nenhum histórico de problema no coração, o irmão do MC Gui teria tido uma parada cardíaca. 

Durante o tempo em que Rezende dava seu show em cima de uma tragédia, a direção colocou no ar três legendas que insinuavam que quem havia morrido era o funkeiro. Nas redes sociais, fãs do artista criticaram duramente a atração pelo erro proposital.

"Parei no 'Cidade Alerta' e achei que o MC Gui tinha morrido. Conserta isso. Quem morreu foi o irmão dele", reclamou um internauta com relação à legenda no Twitter.

Minutos depois, o gerador de caracteres corrigiu o "erro". A frase "MC Gui: mistério na morte" se transformou em "MC Gui: mistério na morte do irmão". 

Se ideia era atrair audiência, funcionou. O programa marcou uma de suas maiores médias do ano. Segundo dados preliminares do Ibope, a atração conquistou a vice-liderança com folga. Marcou 10,7 pontos contra 6,4 do SBT. Com picos de 13,6 pontos quase encostou na Globo que liderou o horário com 16,4 pontos. 

Nos resta lamentar que um jornalista conceituado como Rezende, que vinha dando uma nova cara à forma de se fazer um policialesco na TV brasileira, permita que sua equipe engane seus fiéis telespectadores para derrubar a concorrência. 

Apesar dos excelentes índices, quem sai perdendo, no final das contas, é o programa. Que fica com sua credibilidade abalada. 

fonte: http://entretenimento.br.msn.com/