.

.

.

.

Apesar de estreia empolgante, "Geração Brasil" tropeça na audiência

Capa moderninha esconde novelão tradicional


Divulgação/TV Globo

"Geração Brasil" tem todos os requisitos necessário para ser um sucesso. No entanto, o excelente primeiro capítulo da trama que conta a história de Jonas Marra (Murilo Benício) não foi o suficiente para recuperar a audiência do horário das 19h. O primeiro capítulo da trama assinada por Izabel de Oliveira e Filipe Miguez - autores de "Cheias de Charme" - marcou apenas 21,8 pontos, segundos dados prévios do Ibope. Pior índice em uma estreia na faixa.


Apesar dos números, a direção da Globo deve comemorar. "Geração Brasil" tem tudo para reverter o quadro e repetir o sucesso de "Cheias de Charme". É impossível não lembrar dos personagens da história sobre as "Empreguetes"; mas em um folhetim repleto de referências pop, isso acabou se tornando uma vantagem.

Para fisgar o público jovem, os autores parecem ter se inspirado em sucessos como a franquia "Jogos Vorazes", os seriados "Glee", "The Big Bang Theory" e "Ugly Betty", e até mesmo na novela "Sangue Bom". 

Além da tecnologia, da desconstrução do esteriótipo dos nerds e dos nordestinos, estão presentes na obra, a metalinguagem, a música e o universo das celebridades. Apesar da pegada moderninha, os autores deram indícios que vamos ver um novelão convencional para não perder o telespectador mais conservador. 

Divulgação/TV GloboPara fazer isso tudo andar, a participação de Denise Saraceni se mostrou fundamental no projeto. A diretora procurou não ousar na hora de contar a história que começa com locações na Califórnia, nos Estados Unidos, em São Paulo, Rio de Janeiro e Pernambuco.

 Mas, soube dar um ar tecnológico ao projeto usando inserções gráficas como a ideia de mostrar no vídeo as mensagens recebidas pelos personagens em seus smartphones - ideia usada em "House of Cards". 

A trilha sonora também chamou a atenção ao misturar Elza Soares, Bonde do Rolê e MC Guimê. Responsável pela música da abertura, o funkeiro deve receber o mesmo empurrão que Gaby Amarantos ao ser "presenteada" com o tema da vinheta de "Cheias de Charme".

Até aqui, o único revés é o sotaque americano falado pela família Parker. Talvez, seja por isso que Glória Perez faz todo mundo falar português em suas tramas ambientadas em mais de um país. 

Poucos personagens foram apresentados na estreia. Pelo pouco que se viu, deu para notar que há uma infinidades de bons tipos por ali. Destaques para a afetada Pamela de Claudia Abreu, a Dorothy de Luis Miranda e a Megan de Isabelle Drummond. O figurino do trio, aliás, é um show á parte.

"Geração Brasil" mostrou ainda que aposta alto no humor mesmo passando longe de uma novela cômica. Tem tudo para agradar em cheio quem está em frente à TV no horário. Os Marra chegaram dispostos a lacrar.

fonte: http://entretenimento.br.msn.com/