.

.

.

.

Fiasco de audiência e sem grandes nomes no elenco, "A Fazenda 7" consagra DH como campeão

Por DANIELA TEIXEIRADH foi o grande vencedor de "A Fazenda 7". A final do reality rural da Record, que chegou ao fim na madrugada desta quinta-feira (11) sem conseguir impressionar na audiência, foi disputada pelo vocalista da banda Cine, por Babi Rossi e por Heloísa Faissol. O músico conquistou 44,38% da preferência popular.A segunda colocação ficou com a ex-Panicat, com 37,05% dos votos, cujos fãs movimentaram as redes sociais durante a semana e fizeram com que ela despontasse como a grande favorita ao prêmio de R$ 2 milhões. Já para a socialite carioca, que havia dito, durante a tarde da última quarta-feira (10), que era impossível o cantor ganhar a disputa, sobrou a terceira posição, com 18,57% na votação.DH, aliás, passou ileso pelo programa. Sem ser indicado para nenhuma Roça, permaneceu até a final sem conseguir especular sua popularidade com o público.Palco de muitos barracos - nada, é claro, que chegasse aos pés da 'guerra de cuspes' entre Andressa Urach e Matheus Verdelho na temporada passada -, a sétima edição de "A Fazenda" não conseguiu garantir bons números de audiência e oscilou entre 8 e 10 pontos. Apenas em sua estreia, no dia 14 de setembro, conseguiu marcar seu recorde: 12 pontos no Ibope da Grande São Paulo. Para se ter uma ideia da derrocada, "A Fazenda 1", por exemplo, chegou a atingir os 21 pontos - cada ponto, vale destacar, corresponde a 65 mil domicílios.A atração, aliás, voltou a chamar atenção por suas gafes ao vivo, erros durante provas importantes e, obviamente, pelas atitudes intempestivas de Britto Jr. Nesta edição, o apresentador deixou o público sem entender nada ao reclamar, na transmissão do dia 27 de setembro, de gritos em seu ouvido. "Espera aí! Vai continuar gritando? Vai continuar gritando? Vai para o intervalo e depois a gente fala sobre isso", esbravejou na ocasião.Quem assistia ao reality logo deduziu que se tratava de uma discussão entre o jornalista e o diretor do projeto, Rodrigo Carelli, uma vez que Britto deu a entender que os tais berros vinham de seu ponto eletrônico.Dois dias depois, não se sabe se para abafar as especulações, Carelli garantiu que o apresentador se referia aos gritos dos competidores: "Foi uma falha na comunicação. Os participantes estavam gritando, mas o áudio deles não estava aberto para o público, só para o Britto. Quem assistiu viu só o Britto falando, mas, na verdade, ele estava falando com os peões mesmo”.Outro que também ganhou destaque foi o ex-Menudo Roy Rosselló, que precisou deixar o programa para prestar depoimento na polícia e pagar uma dívida de pensão alimentícia atrasada. No episódio, a direção do reality optou por cancelar a Roça que o veterano disputava com Heloísa Faissol, acompanhou o famoso até a delegacia - para que ele não recebesse informações a respeito do programa -, e o porto-riquenho pôde permanecer no jogo.Além disso, o cantor revelou no confinamento ter sido vítima de abuso sexual por parte do criador do grupo Os Menudos, Edgar Díaz. O assunto, como não poderia deixar de ser, repercutiu internacionalmente.Polêmicas e casos de polícia à parte, a temporada da atração, embora prometesse "grandes nomes do cenário nacional" - como Britto Jr. chegou a anunciar -, contou apenas com integrantes quase desconhecidos ou já há algum tempo fora da mídia.Talvez por esse motivo ou pela "maneira Record de ser", que costuma mudar ou 'atualizar' regras de última hora e, com isso, confunde e irrita os telespectadores, o projeto não engrenou e foi apenas morno ao longo dos meses.Apesar do fiasco, a turma da Barra Funda não se deu por vencida e já garantiu uma nova edição: "Pelo grande sucesso, eu informo: teremos mais uma temporada em 2015!", anunciou o apresentador no encerramento da transmissão.Com a "Fazenda 8" decretada, agora nos resta aguardar e torcer para que o canal dos bispos tenha alguma carta na manga para reformular o programa e torná-lo mais atrativo para quem está do outro lado da telinha. Enquanto isso, que venha o "Big Brother Brasil 15"!

DH foi o grande vencedor de "A Fazenda 7". A final do reality rural da Record, que chegou ao fim na madrugada desta quinta-feira (11) sem conseguir impressionar na audiência, foi disputada pelo vocalista da banda Cine, por Babi Rossi e por Heloísa Faissol. O músico conquistou 44,38% da preferência popular.
A segunda colocação ficou com a ex-Panicat, com 37,05% dos votos, cujos fãs movimentaram as redes sociais durante a semana e fizeram com que ela despontasse como a grande favorita ao prêmio de R$ 2 milhões. Já para a socialite carioca, que havia dito, durante a tarde da última quarta-feira (10), que era impossível o cantor ganhar a disputa, sobrou a terceira posição, com 18,57% na votação.
DH, aliás, passou ileso pelo programa. Sem ser indicado para nenhuma Roça, permaneceu até a final sem conseguir especular sua popularidade com o público.
Palco de muitos barracos - nada, é claro, que chegasse aos pés da 'guerra de cuspes' entre Andressa Urach e Matheus Verdelho na temporada passada -, a sétima edição de "A Fazenda" não conseguiu garantir bons números de audiência e oscilou entre 8 e 10 pontos. Apenas em sua estreia, no dia 14 de setembro, conseguiu marcar seu recorde: 12 pontos no Ibope da Grande São Paulo. Para se ter uma ideia da derrocada, "A Fazenda 1", por exemplo, chegou a atingir os 21 pontos - cada ponto, vale destacar, corresponde a 65 mil domicílios.
A atração, aliás, voltou a chamar atenção por suas gafes ao vivo, erros durante provas importantes e, obviamente, pelas atitudes intempestivas de Britto Jr. Nesta edição, o apresentador deixou o público sem entender nada ao reclamar, na transmissão do dia 27 de setembro, de gritos em seu ouvido. "Espera aí! Vai continuar gritando? Vai continuar gritando? Vai para o intervalo e depois a gente fala sobre isso", esbravejou na ocasião.
Quem assistia ao reality logo deduziu que se tratava de uma discussão entre o jornalista e o diretor do projeto, Rodrigo Carelli, uma vez que Britto deu a entender que os tais berros vinham de seu ponto eletrônico.
Dois dias depois, não se sabe se para abafar as especulações, Carelli garantiu que o apresentador se referia aos gritos dos competidores: "Foi uma falha na comunicação. Os participantes estavam gritando, mas o áudio deles não estava aberto para o público, só para o Britto. Quem assistiu viu só o Britto falando, mas, na verdade, ele estava falando com os peões mesmo”.
Outro que também ganhou destaque foi o ex-Menudo Roy Rosselló, que precisou deixar o programa para prestar depoimento na polícia e pagar uma dívida de pensão alimentícia atrasada. No episódio, a direção do reality optou por cancelar a Roça que o veterano disputava com Heloísa Faissol, acompanhou o famoso até a delegacia - para que ele não recebesse informações a respeito do programa -, e o porto-riquenho pôde permanecer no jogo.
Além disso, o cantor revelou no confinamento ter sido vítima de abuso sexual por parte do criador do grupo Os Menudos, Edgar Díaz. O assunto, como não poderia deixar de ser, repercutiu internacionalmente.
Polêmicas e casos de polícia à parte, a temporada da atração, embora prometesse "grandes nomes do cenário nacional" - como Britto Jr. chegou a anunciar -, contou apenas com integrantes quase desconhecidos ou já há algum tempo fora da mídia.
Talvez por esse motivo ou pela "maneira Record de ser", que costuma mudar ou 'atualizar' regras de última hora e, com isso, confunde e irrita os telespectadores, o projeto não engrenou e foi apenas morno ao longo dos meses.
Apesar do fiasco, a turma da Barra Funda não se deu por vencida e já garantiu uma nova edição: "Pelo grande sucesso, eu informo: teremos mais uma temporada em 2015!", anunciou o apresentador no encerramento da transmissão.
Com a "Fazenda 8" decretada, agora nos resta aguardar e torcer para que o canal dos bispos tenha alguma carta na manga para reformular o programa e torná-lo mais atrativo para quem está do outro lado da telinha. Enquanto isso, que venha o "Big Brother Brasil 15"!
fonte: http://www.msn.com/pt-br/entretenimento